Freelancer Garante Carteira Assinada. Dos outros.

Eu realmente quase desisti desse blog, como ficou evidente. Cada vez que eu lia algo interessante e que dava um caldo, até me dava um coceira. Mas, convenhamos, é muito difícil se concentrar em discutir no vazio e conseguir trabalhos e clientes. Pelo menos para um fotógrafo independente, que é o que sou no momento.

Mas há coisas mais interessantes do que número de acessos a esse blog, que é o barato de escrevê-lo para refletir, pensar e repensar. Além de poder publicar algumas novidades pessoais.

A coceirinha para escrever dessa vez veio por causa de um artigo no blog do Photoshelter, falando sobre a demissão de todos os fotógrafos do Washington Times, de uma só vez, no final do ano passado. Essa é a parte ruim mas, segundo o artigo, previsível o bastante para que possa ocorrer também em outras empresas.

Tentando fazer do limão um limonada, o Photoshelter pediu a John Harrington, fotógrafo freelencer, blogueiro e autor do livro Best Business Practices for Photographers, uma lista com as principais medidas a serem tomadas por fotógrafos que perderam e/ou que ainda não perderam o emprego –  The 10 Things a Recently Laid-off Photographer Must Do / The 10 Things a Not-Yet-Laid-Off Staffer Must Do.

Francamente, a lista reforça as propostas de organização que pedíamos quando agências de fotografia começaram a se relacionar com o Diário do Comércio, há 5 anos atrás, mas não pareciam saber por onde começar. Aliás, é menos exigente porque há tempos podemos perceber a limitação de crescimento do fotógrafo celular-laptop-moto.

O interessante está no 8º item da primeira lista, que traduzi (me desculpem,ok?) assim:

“8 – Brigue por seus colaboradores

Se você entende que dos $ 45.000 que você recebe por ano como contratado, somados os benefícios e impostos trabalhistas, o seu custo total para a empresa será elevado a $ 52.000, então você custa a essa empresa $ 1.000 por semana, ou $ 200 por dia. Se o seu jornal pode contratar um freelancer / colaborador por $150 por dia – e ainda, só quando ele necessita – quanto tempo demorará para que o departamento de contas lhe considere dispensável?

Tenha certeza de que freelancers / colaboradores sejam pagos por trabalho pelo menos 20% a mais do que você (segundo as contas acima), e que as publicações / organizações recebam somente os direitos necessários.”

Me lembro de quando trabalhei num jornal e um dos editores reclamava que certos freelancers ganhavam mais do que alguns contratados. Na época eu já achava isso natural porque existem benefícios e garantias para quem tem a carteira assinada, não para o freelancer. Mas ele pensava em dinheiro na mão e não era o único.

Com a lógica dos custos baixos se impondo neste mercado, o raciocínio de Harrington é claro demonstrativo de quanto tempo fotógrafos ficaram dando tiro no próprio pé.

Vale a pena olhar a lista toda e medir o quanto estamos perto ou longe de uma organização razoável.

Tags: ,

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: