Posts Tagged ‘áudio slideshow’

Tutorial Soundslides

5 de dezembro de 2008

Demorou um pouco mas acabei fazendo um tutorial para o Soundslides. Um programa muito simples. Excelente para quem tem histórias para contar.

Não repare o amadorismo do vídeo. Para esse tipo de gravação não achei algo que ensinasse.

Aproveite.

Assista aqui ao projeto realizado no tutorial.

Soundslides no YouTube

14 de novembro de 2008

A antevéspera de um jogo contra o Palmeiras para um “decisivo” quarto lugar é o melhor momento para publicar uma elegia ao Mengão. Tudo para secar o Porco. A missão não é fácil.

Depois, ao título.

Entre dificuldades, só mesmo alimentando a crença de torcedor, sempre um homem de fé.

Mesmo que você ache que já viu esse projeto tantas vezes, há um motivo diferente para sua publicação.

Não foi milagre algum passar um áudio slideshow do Soundslides para vídeo, mas dá um certo trabalho procurar as soluções. Deu para publicar no YouTube com uma boa qualidade, embora ainda tenha que aprender como fazer aparecer a opção High Quality na barra do vídeo.

Por enquanto, para ter a alta resolução precisei acrescentar o código &fmt=18 à URL.

O resultado está aí, mas na minha opinião, áudio slideshow não é vídeo e a navegação fica diferente. Parece que perde a emoção ou a contemplação que o navegador solitário da internet tem ao ver fotografias.

O vídeo é dispersivo.

Mas a torcida do Mengão não é, não. Só está espalhada pelo Brasil; mas no domingo vai dar show e tomar o Maracanã. Depois, o título.

Nos vemos na segunda-feira.

Festa Boliviana

12 de agosto de 2008

Novo áudio slideshow. Dessa vez foi matéria num sábado sobre uma grande festa para os bolivianos, um dia antes do referendo que ratificou Evo Morales no poder.

Pena que o WordPress não permite mais que rode o Soundslides dentro da plataforma. O link está na imagem e aqui.

Não era a pauta, mas dos entrevistados, todos concordam que Evo está mudando a Bolívia.

Entenda-se isso como bem quiser.

Anarquia Contra o Desrespeito

1 de agosto de 2008

Novo áudio slideshow, com uma cara diferente – tento convencer uma amiga que essa mídia é ótima para dar voz a quem tem o que reclamar.

Carrega um tom um pouco anárquico, um ato que sugere a sociedade auto-governante, com direitos e respeito mútuo num sistema sem autoritarismo.

É claro, utópico. Mas quem vive em São Paulo tem que acreditar ou praticar. Sem muita ajuda de corpos consulares, mas talvez aplicando uma espécie de jornalismo social vigilante. Um estágio iniciante do jornalismo cidadão.

Link na imagem ou aqui.

A Entrevista da Premiada

25 de maio de 2008

A fotógrafa Mona Reeder ganhou o prêmio Robert F. Kennedy de jornalismo para Domestic Photojournalism com o ensaio “The Bottom Line”, feito para o Dallas Morning News.

É claro que tem um link para o trabalho aqui e na imagem, mas com tantas referências premiadas, acabamos achando que a realização de um trabalho simples está muito distante.

Temos que ver também, por exemplo, o trabalho do New York Times, sobre o pai que premiou o filho com a réplica de um Shelby 427 Cobra , para que ele melhorasse as notas na escola.

Diferente é que Mona Reeder dá uma entrevista a Kenny Irby, colunista do Poynteronline, onde fala como é sua aproximação dos personagem em ensaios fotográficos e como é improdutivo manter a distância entre o texto e a imagem.

Ela diz que The Bottom Line, pela sua apresentação multimídia, “incorpora o que os diretores de jornais têm procurado por anos, com a experiência de diminuição de leitores e o (novo) papel das notícias”.
Sobre conselhos para fotógrafos que decidem se tornar “visual reporters”, ela afirma:
“Esperar receber um grande trabalho (pauta) de uma chefia é um erro que muitos fotógrafos fazem. Alguns reclamam que nunca pegam um trabalho bom, mas em minha opinião, cada um faz sua própria sorte, cria sua própria oportunidade.
Se mais fotógrafos tomarem a iniciativa e responsabilidade por desenvolver suas histórias e idéias, eles talvez fiquem mais felizes”.
Leia aqui a entrevista.

Casa de Ferreiro, Espeto de Ferro

14 de maio de 2008

Mais um produto feito pelo e-SIM, dessa vez encomendado pelo Diário do Comércio.

Bem, na verdade, quando fomos pautados para fazer matéria na igreja Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos já imaginamos que daria para fazer um áudio slideshow. Aí, nos propusemos a fazê-lo já pela manhã.

Acontece que por diversos motivos fomos obrigados a começar a edição de som e montagem somente às 19 horas. O trabalho atrasou mas o entregamos às 23 horas. Às 23:40 ele já estava no ar. A matéria da edição impressa saiu no dia seguinte.

Ainda não havíamos feito um áudio slideshow para o mesmo dia. O som direto também andava sumido. Mas nesta produção o que funcionou mesmo foi a colaboração de Leonardo Rodrigues e Maristela Orlowski, que mesmo sem terem feito esse tipo de apuração antes, capturaram um bom material para a edição.

Além do mais, tem o importante detalhe dele não ser uma peça muito diferente do que saiu no jornal impresso. São duas linguagens e duas produções, mas abordam o assunto sob os mesmos pontos de vista.

Não dá para dizer que foi fácil, mas vamos indo. Veja aqui um breve histórico.

Coração Rubronegro

25 de abril de 2008

Novo áudio slide show.

Era um desses trabalhos que a gente adora fazer: viajar pelo país, encontro com personagens com histórias legais, fora as pessoas que encontramos por acaso (que é muito o caso dessas fotos); mas para não fugir à regra tinha que ser na correria, com vôos quase todos os dias e refeições em trânsito.

A gente adora isso.

Aí surgiu um trabalho paralelo, que me deixou muito mais feliz.

Como faz muito tempo que fiz as fotos, ele já foi publicado na internet. Acho que o áudio slide show lhe deu uma vida diferente.

Além do mais, é sempre bom lembrar uma paixão, daquelas que te acompanham a vida inteira.

Clique na foto ou aqui.

Ensaio Sobre o Emprego

15 de setembro de 2007

link.jpg

Tem áudio slide show novo no site: a revista Digesto Econômico publicou uma edição sobre emprego e quando começou a estudar como ilustrá-la, o escritório propôs que se fizesse um ensaio em preto e branco. Não fui a todos os lugares que queríamos, mas a pauta era muito aberta e, convenhamos, o tema é assunto para uma vida inteira.

O texto do professor da USP, José Pastore, é bem interessante, principalmente quando cita as mudanças que o trabalho sofreu nos últimos anos. Em certo momento ele escreve: “A produção de hoje é realizada por uma constelação de empresas e profissionais muito bem articulados entre si e que formam redes de colaboradores. São as redes – e não as empresas – que competem no mercado.”

Não sei se insisto no mesmo mantra. Parece muito claro que as nossas relações de trabalho na fotografia estão em franca transformação há algum tempo. Talvez a gente misture o momento em que ela começou porque tivemos muitos detonadores, mas isso já não tem tanta importância.

Além do mais, não somos os únicos a nos preocuparmos com as mudanças na profissão, como demonstra, na publicidade, a formação de uma chapa de elite para o Clube de Criação. Mas esse assunto fica para o próximo post.