Posts Tagged ‘Dica’

Rede Social no Mundo Real

20 de março de 2010

Acabo de repassar uma mensagem de Bill Gates.

Quem diria que um dia isso fosse acontecer na minha vida.

Na verdade, “retwittei” um link do Washington Post falando de educação publicado por ele aos seus seguidores, que é onde me enquadro. O autor da matéria, Chester E. Finn Jr, mesmo sendo de um mundialmente prestigiado jornal, deve ter triplicado sua audiência, só com  essa indicação de um dos homens mais influentes do mundo.

Bom, eu também “retwittei” a mensagem aos meus amigos, não é? Essa é minha rede. A de Bill Gates, só no Twitter,  tem quase 620 mil leitores.

Atualmente até quando dobramos uma esquina nos deparamos com redes sociais. O assunto está em todo o canto. Até no metrô de São Paulo, nas dicas de Bob Wollheim, que alerta sobre a quantidade – e falta de qualidade – de novos analistas do tema. Eu mesmo já estive em palestra para saber mais sobre mídias sociais e saí conhecendo uma empresa que produz sites de relacionamento e umas dicas que devem estar na Você SA do ano passado (na Fast Company, então…).

Até portais de conteúdo temem o Twitter, exemplar suprasumo de aglutinação amigável. Eles acreditam que os participantes envolvidos confiam mais em dicas de pessoas de seu círculo do que em sugestões de consultores. Isso vale para compras, leituras, estudos; enfim, tudo que for consumo.

Na recente edição da Neiman Foundation (de estudos jornalísticos ligada a Harvard), toda dedicada ao jornalismo visual (é claro que vale outro post, mas são quase 60 artigos), Brian Storm, criador da MediaStorm, ressalta o quanto trabalhos de boa qualidade tiram proveito das conexões virtuais.

Nunca tivemos uma situação como essa, onde as pessoas podem espalhar coisas tão rapidamente como agora. E o que eles vão espalhar? Eles espalharão qualidade. É como poder dizer agora, ‘Ei, acho isso ótimo’. Este ciclo social não existia antes”, diz ele, na entrevista à editora Melissa Ludtke.

E completa: “Facebook é minha nova front page”.

Construindo Relacionamentos

Numa esperta estratégia de trazer empreendedorismo a seu público, o PhotoShelter fez alguns documentos  voltados para nosso mercado, como o Google Analytics For Photographers. Daí, fazer o Social Media For Photographers era mais do que evidente.

Mas o documento sobre mídias sociais tem algo de enrolation. Apresenta dicas que alguém envolvido com a blogosfera já pode ter sacado. Mas o seu twitter (twitter.com/photoshelter) dá ótimos links – o que é melhor do que alguns blogs, que bem poderiam se tornar twitters.

Mídias sociais são realmente um assunto a ser tratado em nosso benefício, com a principal atenção de trabalha-la virtualmente – como lembra o documento do PhotoShelter – mas sabendo que o que a faz funcionar efetivamente é o que se constrói no mundo real, fora da internet.

Até aqui, os exemplos se referem ao lado comercial do lance: divulgar trabalhos, vender imagens, apresentar idéias e buscar colaborações, desde que estejamos dispostos a nos expor e tenhamos o que apresentar.

Existe também o lado do consumo, que diz respeito ao quão acessíveis podemos estar para aceitar o que alguém da nossa rede sugere. E existe, em grande quantidade, quem está na rede para ver no que dá. Afinal, tudo isso é novo. Valeria ao menos entrar em um Twitter, Facebook, Orkut, LinkedIn, YouTube ou outro do seu bairro, só para reencontrar amigos antigos.

Já fiz isso. Recentemente encontrei amigos e amigas de mais de 30 anos atrás. Estou muito feliz de tê-los na minha rede social novamente, principalmente na que é construída fora do  mundo virtual.

Anúncios

Tutorial Soundslides

5 de dezembro de 2008

Demorou um pouco mas acabei fazendo um tutorial para o Soundslides. Um programa muito simples. Excelente para quem tem histórias para contar.

Não repare o amadorismo do vídeo. Para esse tipo de gravação não achei algo que ensinasse.

Aproveite.

Assista aqui ao projeto realizado no tutorial.

Enquanto o próximo post não vem…

5 de agosto de 2008

Quero falar de Rob Haggart, um editor que largou seu trabalho em Nova York para fazer o que gosta: esquiar, correr, andar de bicicleta e voltar a ter prazer com fotografia. Foi aclamado como herói por invejosos work-a-holics em seu blog, que está para ser comentado aqui há tempos.

Falta de tempo…

Não posso dizer que sou um dos invejosos porque não postei nada no blog de Rob, mas São Paulo torna qualquer um viciado em trabalho com facilidade. E também já esgotei a minha cota de “largar coisas“.

Enquanto leio uma entrevista que ele fez e preparo um post, dêem uma olhada neste trabalho de Phillip Toledano sobre sexo ao telefone (link na imagem e aqui), cujo link peguei lá no aphotoeditor.com .

Serviços Velozes e Preços Furiosos

31 de julho de 2008

Quando a gente fala de navegar em banda larga, é como falar sobre câmeras digitais: estamos satisfeitos com nossos 10 mpixels, mesmo sabendo que existe a mais nova com 16 mpixels (falando de pequenos formatos).

Para quê uma banda larga de 8 Mbps?

A GVT, que atua em telefonia de alguns estados do país, está oferecendo o Turbonet MEGA MAXX, banda larga com velocidade de até 20 Mbps. Um exagero? Realmente, tem que assisitir a muitos vídeos para compensar os R$ 500 mensais (valor em Curitiba).

Mas não se engane que esse serviço não tenha utilidade para seu negócio com fotografia. O relacionamento entre fotógrafos e clientes muda; muda também o do fotógrafo e sua produção. As soluções oferecidas para o mercado, se é que você ainda não reparou, envolvem soluções web. Não ocorre apenas na fotografia e vai além de se postar uma foto no blog à partir do seu celular (embora, para mim, isso já seja impressionante).

Uma empresa chamada SugarSync oferece isso. Aliás, oferece bem mais: o serviço sincroniza o seu computador de casa com o do trabalho, não importa a plataforma (Mac ou PC). Para isso, você indica ou cria as pastas que devem ser sincronizadas. Enquanto você estiver online, as pastas vão sendo atualizadas em tempo real. Isso quer dizer que se você estiver escrevendo um texto no seu laptop, na praia, em um arquivo dentro de uma pasta sincronizada, quando você salvar o doc, ele já mudou no desktop de sua casa, no Sumaré.

Aplicado à fotografia, se você quiser sincronizar pastas ou até mesmo seu arquivo inteiro, você pode. E se quiser ver tudo isso remotamente, de outro computador, o SugarSync lhe dá um endereço onde você tem acesso a todo o material na internet. De lá você pode compartilhar pastas (como se faz no GoogleDocs) e álbuns de fotografia inteiros, com direito a download de fotos em alta. Um ótimo backup.

Quem é mais ligado já sacou que isso é um FTP sofisticado, com interface e programação. E essa é toda a diferença. Uma solução web, como é o DigitalRailRoad para bancos de imagens. Tecnologicamente tem a diferença de, até onde eu sei, o DRR não poder ser gerenciado pelo seu celular. No SugarSync, longe de casa ou do escritório, você manda uma foto para seu cliente.

É claro que vai depender da sua empresa de telefonia móvel. Para sincronizar pastas de fotos no SugarSync você também vai precisar de uma boa velocidade. Planos de 1 Mbps – com baixas velociadade de upload – não dão conta. De 2 Mbps, também não. Para se ter uma idéia, 100 Mb de fotos, com uploads a 280 Kbps, serão mais de 6 horas de tráfego. Vale a pena editar.

Em São Paulo não tem GVT. Mas, se tivesse, como é que se repassa o custo de 20Mbps? Bem, isso já tem que ser em outros posts.

A Inspiração do Preto e Branco

9 de junho de 2008
Maurizio Polese
foto de  Maurizio Polese

Tem um portal que hoje publica um estudo sobre o mau-humor das segundas-feiras. Contrariando este mau-humorado mito e oferecendo coisas positivas, um outro site, de designing, mostra sua “Inspiração das Segundas-Feiras” (mais bonito no original, “Monday Inspiration Serie”).

O Smashing Magazine, direcionado a designers e desenvolvedores de sites, publica hoje uma belíssima homenagem à fotografia em Preto e Branco. Para eles, trata-se de uma modesta tentativa de inspirar os designers a usar preto e branco, ao invés de páginas hiper coloridas.

Para nós, fotógrafos, não é só inspirador, mas como diria certo astrólogo, uma hora de rever as origens do que nos trouxe até aqui.

Não vou dizer quem me passou este link para não sentir a inveja do mundo jornalístico, mas é uma pessoa sensacional, garanto.

Dica Wired Tira o Brilho e Suaviza

7 de maio de 2008

Essa vem da incrível Wired, que juntou três coisas desagradáveis em uma foto só e ensina como amenizar olhos vermelhos, brilho no rosto e fundo confuso. Os dois primeiros são comuns quando usamos flash.
O artigo, na íntegra, está neste link.


A dica para suavizar o brilho no rosto é :
• Use a ferramenta Lasso, com o Feather para 12 pixels. Faça a demarcação ao redor da área com brilho, clicando para estabelecer pontos e feche o loop;
• Use Copy para copiar a seleção;
• No Layer menu, faça um novo Layer;
• Cole a seleção no novo Layer;
• Com a ferramenta Eyedropper, click na imagem uma amostra com o tom de pele que deseja;
• Use a ferramenta Paint Bucket para despejar esse tom de pele dentro da seleção uniformemente;
• Defina a Opacidade a zero e depois aumente devagar até que a área adquira a tonalidade desejada.

Não deu para fazer exatamente assim, talvez porque tenha usado o Photoshop CS e o exemplo seja para o Elements. Mas deu certo.

Granulado e Definido

16 de novembro de 2007

Para quem passa por aqui, sugiro que também dê uma olhada no blog da Carla Romero, o Granulado, que tem um link aí no Vale a Pena Conhecer. Seu último post fala de manipulação de imagens na imprensa, o que não combina com credibilidade jornalística.

Acho que vale a pena ficar atento, para o assunto e para o blog dela.