Posts Tagged ‘publicidade’

Flickr, O Custo da Exposição

19 de agosto de 2008

A discussão sobre o Flickr no blog de Bob Haggart pegou fogo semana passada (link). Fotógrafos, agentes, advogados e transeuntes bateram boca por 5 dias. Em questão, o quanto a plataforma API do Flickr é eficiente contra a pilhagem de fotos por empresas que se aproveitam de normas pouco claras. Como ponto de partida está o caso envolvendo publicidade da Heineken.

O Flickr, para a grande maioria de fotógrafos que dela participam, é a maior vitrine de trabalhos que existe. Quem quer ser visto, está nela por motivos comerciais e artísiticos. Foi nela que Win Wernders achou Tony de Marco; é lá que muita gente vende trabalhos, com muita dificuldade, aliás.

A discussão no blog de Hoggart, confrontando um consultor de negócios de fotografia e dono de banco de imagens na internet e uma advogada que cita um monte de gente e tem um blog que fala dela mesma, levanta muitas questões importantes para se definir as regras do jogo. A história é complicada e envolve uma discussão singular e inusitada para nós no Brasil, que se chama direito autoral.

Vale para quem quer saber como o jogo é jogado por lá.

Quem quiser saber da lei de direito autoral brasileira, clique abaixo.

Lei Direito Autoral.DOC

Anúncios

We had a bad day when Dolly was cloned

17 de julho de 2008

Jennifer Anderson, uma jovem atriz do Oregon que inicia seu curso de psicologia em Berkeley daqui a um mês, posou para Doug Menuez há alguns anos, tendo como cenário uma universidade americana. Foi seu primeiro trabalho como modelo e ela nem sabia o que significava “imagens royalty-free”.
Depois que essas fotos ilustraram propagandas de duas concorrentes do mercado de pcs e outros incontáveis e mais variados anúncios e publicações (incluindo capas de livros, veja a lista aqui), Jennifer ficou famosa como The Everywhere Girl. Uma história incrível de super exposição que a fez criar um blog e até uma linha de roupas com uma das fotos estampada.
Só a Getty-Images deve saber quantas vezes suas fotos – tiradas para banco de imagens em um dia de sessão – foram vendidas. Mas nem a Getty sabe o porquê tantos querem tanto a mesma imagem.

Imodesta, Jennifer está surpresa por só agora a Slate tê-la descoberto.
Na verdade, o colunista da revista eletrônica, Seth Stevenson, escreveu sobre como os grandes bancos de imagens planejam seus arquivos, antevendo modas e comportamentos. À partir dessa matéria-prima é que surgem muitas das inspirações de agências de publicidade.

Por aqui também se produz material exclusivo para bancos de imagens – talvez não com a força de ditar comportamentos futuros – mas o bruto me parece sair de sobras de trabalhos que não serviram a clientes com suas violentas cessões de direito autoral, ou de pequenas fugas de roteiros de trabalhos. Quem já teve que procurar uma situação com personagens de feições “abrasileiradas” sabe o quanto isso é difícil.

Num banco como a Getty o negócio é pesado. Stevenson conversou com Denise Waggoner, vice-presidente de pesquisa criativa da empresa e responsável por prever e produzir o que será vendável. Ela confessou que seu departamento não acompanhava muito os estudos sobre biotecnologia no mundo (!), até que surgiu a ovelha Dolly e o que todos queriam publicar era a ovelhinha escocesa, com um fundo recortável.
“Tivemos um dia bem ruim quando Dolly foi clonada”, diz Denise.

Na misturada de assuntos do artigo, este é o principal. Produzir para banco de imagens pode ser lucrativo, se planejado e conceituado. Stevenson dá a pista de que a tendência dos últimos anos é de imagens de gente comum, como um testemunho da autenticidade de pessoas reais.
Talvez seja esse o mistério da Everywhere Girl, reproduzida tantas vezes, muitas e muitas vezes mais que a Dolly.

Na montagem dos anúncios abaixo, o link para as fotos na Getty.

PS: Nem deu espaço de falar de Doug Menuez. Mas isso é muito mais difícil. Veja o seu site.

Diversão Garantida

2 de junho de 2008

Essa eu peguei de outro blog (preciso falar dele com mais calma) mas é promocional da Subaru. Você brinca como fotógrafo virtual da nova campanha da montadora.

Pode concorrer a um Canon Rebel, um Mac Air, um CS3…; ao carro, não. Mas acho que é só para quem mora nos EUA.

No Problema! O legal, mesmo, é se divertir fotografando. Link na foto.